O BNM

Aonde está a moda brasiliense? Aquela feita aqui, no quadradinho. O Distrito Federal conta com cerca de 2,8 milhões de habitantes em seus pouco mais de 5 mil km². O nosso PIB por habitante é de R$ 46 mil e – pasme você – a nossa economia cresceu em 2012 (últimos dados coletados) 3%. Quanto disso foi para a moda?

O consumo cresceu, e a cultura brasiliense também! Os produtores independentes vêm ganhando voz e espaço. Showroom, Ateliê, galerias de arte, lojas colaborativas e marcas que vendem exclusivamente online se unem quase que em uma corrente invisível que afirma que a concorrência não necessariamente precisa ser algo negativo.

Neste pensamento, como jornalista de moda, investiguei espaços físicos de marcas naturalmente brasilienses. Assustadoramente, cheguei ao total de 28 espaços – onde destes, eu só havia ouvido falar de nove. Não é assustador como nós optamos pelo Shopping Center ou lojas popularmente conhecidas quando a hora do consumo bate, ou precisamos de uma roupa, ou queremos investir na tendência da estação?

Esta é uma realidade que precisa mudar. O brasiliense precisa conhecer Brasília e quem aqui produz. Valorizar a cultura local é como abraçar o cidadão vizinho silenciosamente numa afirmação companheira. Refletindo sobre como podemos, juntos, mudar este cenário em Brasília, criei o projeto Brasília na Mala. Meu objetivo é explorar o quadradinho, descobrir novas lojas, novos artistas, novos profissionais da moda.

O Brasília na Mala foi retratado inicialmente com uma hashtag no meu Instagram pessoal (@cjurumenha). Procuro estar sempre viajando e encontrei nessas viagens uma forma de tirar Brasília daqui me usando como personagem. Meu objetivo, um tanto quanto desafiador, é passar todos os dias de minhas viagens usando marcas brasilienses.

As coisas cresceram, o BNM ganhou perfil próprio e o próximo passo foi tornar-se site. Agora estamos aqui. Seja bem vindo ao novo espaço brasiliense de notícias locais!

 

Siga @bnm.etc

Instagram has returned invalid data.