Personagens da Casa,

DIGA ‘XIS’

Flores para que te quero, não. Aqui é: flores para quem me inspiro. As designers Laura Moreira e Marina Teixeira encontraram nas flores e no bordado um combo pra lá de diferenciado: acessórios com bordado em madeira. Você pode até pensar “Ah, para. A ideia não foi tão inovadora.” Mas e se eu te disser que foi, sim?

É por que a intimidade com o material veio de maneira natural e, por mais clichê que soe, as peças são feitas com amor e apreço. Segundo as criadoras, a ideia surgiu de maneira orgânica. “A intimidade, devida a amizade, nos proporcionou uma conexão de ideias e ações em cadeia. Nós estávamos vivenciando uma fase semelhante: a inquietação da criação depois de um período altamente feliz e criativo em nossas vidas: o intercâmbio”, contou Marina ao BNM.

FOTO: DIVULGAÇÃO

Enquanto Laura procurava aprender técnicas de bordado em ponto cruz com tutoriais no Youtube, Marina havia acabado de entrar num estágio que lhe dava acesso à uma máquina de corte a laser, proporcionando às meninas um novo universo de possibilidades. “De uma maneira natural, as ideias se cruzaram, e como nossos bordados, depois de um tempinho de pensamento e esmero, demos origem a uma marca de acessórios”, completa Marina.

O bordado surgiu com a oportunidade e buzz contemporâneo dos DIY (do it yourself) e trabalhos manuais. As habilidades estavam ali, bem como os materiais. Dai veio a pergunta: porquê não? “Depois de um tempo refletindo vimos que o bordado e fazer coisas a mão está no nossa memória afetiva e resgatar isso tinha total sentido”, explicou.

Laura aprendeu a fazer ponto-cruz com a linhas que sua mãe utilizou para bordar um quadro de seu quartinho de recém-nascida. Já Marina sempre inventou moda de costurar, fazer crochê e customizar as próprias roupas. A inquietação de ambas deu origem a Xis Acessórios.

FOTO: DIVULGAÇÃO

A primeira coleção apareceu timidamente no início da primavera de 2015. O nome da coleção, claro, tinha tudo a ver com a proposta da marca: Vejo Flores em Você. Apesar disto, a dificuldade também se fez presente. Tudo que começa vem em formato ‘beta’, e a Xis não poderia ter sido diferente. “Foi e é difícil desenvolver as peças, mas não por conta do design, ou da produção ou qualquer outro aspecto que envolvem os acessórios. Nós somos muito semelhantes nisso, queremos estruturar um plano que seja a prova de balas antes ser colocado em prática e, acontece, que na vida real, quando se quer empreender, não é bem assim”, explica Laura.

“Tem que colocar a cara a tapa, e ir fazendo sem saber mesmo, no teste, no tato, no escuro, mas com um mínimo de organização e pé no chão. Executar a Xis é um grande aprendizado pra gente pois estamos cientes dessa barreira do overthinking que temos e aos poucos vamos tentando transpô-la. Antes feito do que perfeito, porque só assim superamos os pensamentos críticos das ideias antes mesmo delas terem sido colocadas em prática”, completou.

A empresa está começando, e por ser um trabalho artesanal, as meninas pedem sempre calma e paciência na hora das encomendas. Os desenhos de bases, após finalizados, são enviados para produção em comércio local. Bases cortadas? É hora de colocar a mão na massa e iniciar o processo de aplicação das linhas, formando os desenhos.  “Bordamos cada um dos colares e brincos que vendemos, com o avesso perfeito, do jeito que vovó gosta. Cada peça demora em média 1 hora para ser bordada, além do acabamento e montagens. Então, como gostamos de dizer, nosso trabalho é 99% feito a mão 1% máquina”, explica Marina.

As peças se qualificam na categoria “design wear”, onde verdadeiras obras de arte invadem o espaço da moda e acessórios. Tá bonito demais, né?

É possível encontrar a Xis Acessórios na loja colaborativa Endossa Asa Sul (306 Sul, Bloco D, loja 30) ou via redes sociais, pelo Instagram.

nenhum comentário

autor

EDITORA DE CONTEÚDO

Deixe uma resposta!

Siga @bnm.etc

Instagram has returned invalid data.